Baseada em pilares que afirmam seu espírito de perseverança, criatividade e evolução, a Famma solda Mig tem direcionado seus esforços em busca de um salto qualitativo, sempre investindo em equipamentos, tecnologia de ponta, treinamento e especialização de seus profissionais.

Solda Mig ou soldagem por arco elétrico com gás de proteção, sigla em inglês GMAW (Gas Metal Arc Welding), mais conhecida como soldagem MIG/MAG (MIG – Metal Inert Gas) e (MAG – Metal Active Gas), trata-se de um processo de soldagem por arco elétrico entre a peça e o consumível em forma de arame, eletrodo não revestido, fornecido por um alimentador contínuo, realizando uma união de materiais metálicos pelo aquecimento e fusão.

 

O arco elétrico funde de forma contínua o arame à medida que é alimentado à poça de fusão.

O metal de solda é protegido da atmosfera por um fluxo de gás, ou mistura de gases, inerte (MIG) ou ativo (MAG)

Neste processo de soldagem é utilizada a corrente contínua (CC) e geralmente o arame é utilizado no pólo positivo (polaridade reversa)

A polaridade direta é raramente utilizada, pois, embora proporcione uma maior taxa de fusão do eletrodo, proporciona um arco muito instável. A faixa de corrente mais comumente empregada varia de 50A até cerca de 600A, com tensões de soldagem de 15V até 32V. Um arco elétrico autocorrigido e estável é obtido com o uso de uma fonte de tensão constante e com um alimentador de arame de velocidade constante.

O processo MIG/MAG é aplicável à soldagem da maioria dos metais utilizados na indústria como os aços, o alumínio, aços inoxidáveis, cobre e vários outros. 


Peças com espessura acima de 200 mm podem ser soldados praticamente em todas as posições.

O processo SOLDA MIG (GMAW) apresenta várias vantagens em relação a outros processos de soldagem por arco elétrico em baixa ou alta produtividade como SMAW (Eletrodo Revestido), Soldagem por arco submerso (SAS/SAW) e TIG, abaixo uma lista com algumas vantagens:

Não há perdas de pontas como no eletrodo revestido;
Tempo total de execução de soldas de cerca da metade do tempo se comparado ao eletrodo revestido;
Alta taxa de deposição do metal de solda;
Alta velocidade de soldagem; menos distorção das peças;
Largas aberturas preenchidas ou amanteigadas facilmente, tornando certos tipos de soldagem de reparo mais eficientes;
Baixo custo de produção;
Soldagem pode ser executada em todas as posições;
Processo pode ser automatizado;
Cordão de solda com bom acabamento;
Soldas de excelente qualidade;
Facilidade de operação;
Baixo custo do arame consumível para uso em aço e materiais ferrosos.
Proporciona um trabalho mais relaxado.

A composição do gás de proteção
Tomada a decisão sobre qual gás indicado para o trabalho será desenvolvido, então, você precisa conhecer um pouco mais sobre eles.

 

No caso do alumínio, a indicação o argônio, como já dissemos. Para aços carbono e baixa liga e aços inoxidáveis, as opções de composições são as seguintes:

Aço carbono ou de baixa liga
Argônio + CO² (5-15% ) + O² (2-6%)
Argônio + CO² (25-50%)
Argônio + CO² (15-20%)
Argônio + CO² (4-8%)

Aço inox
Argônio + CO² (10-30%) + O² (1-2%)
Argônio + O² (1-2%)
Argônio + CO² ( 2-4%)
Argônio + H² (1-7%)

Aço carbono
Para soldar aço, o dióxido de carbono (CO²) é uma escolha econômica como gás de proteção e garante maior penetração da solda. O inconveniente é que esse tipo de gás é muito quente para chapas finas de metal. Nestes casos, melhor optar pela mistura de argônio (75%) e CO² (25%) quando a espessura for fina.

Para soldar materiais de pequena espessura, para fechar grandes aberturas e soldagens fora de posição, recomenda-se usar a transferência por curto-circuito. 


Em chapas de maior espessura, indica-se a transferência por aerossol.

Tanto a técnica de soldagem “puxando” como a “empurrando” podem ser utilizadas pelo profissional. A “empurrando” tende a ser a escolha de muitos porque permite uma melhor visibilidade da junta da solda e, ao mesmo tempo, proporciona uma poça de fusão mais plana.

Aço Inox
No caso dos aços inoxidáveis, use a transferência por curto-circuito nas mesmas recomendações feitas para aço carbono. A indicação de gás de proteção é de He (90%) + Ar (7,5%) e O² (2,5%) para uma solda com resistência à corrosão, estabilidade de arco e boa penetração da solda, tanto para mono-passe como para multi-passe. Se for trabalhar com soldas mono-passe e que não exijam resistência à corrosão, você pode optar pela mistura  Ar + CO² (25%)

PARA SABER MAIS SOBRE DOBRA DE CHAPAS
Telefone: 55 (11) 4024-8800 (11) 4024-8801
E-mail:
vendas01@famma.com.br
Av. Eugen Wissmann, 651 Itu - SP